quinta-feira, 30 de dezembro de 2010

TUDO PELA PRESENÇA DE DEUS


"Irmãos, quanto a mim, não julgo que o haja alcançado; mas uma coisa faço, e é que, esquecendo-me das coisas que atrás ficam, e avançando para as que estão adiante, prossigo para o alvo pelo prêmio da soberana vocação de Deus em Cristo Jesus." (Fl.3:13-14)

Vamos!


Não é hora de reclamar; de achar culpados; de discussão; de abatimento; de tristeza e depressão...

Não é hora de desistir! Não é hora de mudar de rumo, nem de desviar-se... É hora de prosseguir para O Alvo.

O Salmista diz que os filhos são como flechas; Isaías diz que O Messias (e aqueles que são Dele), são como uma flecha polida e escondida à sobra da mão do Guerreiro, que é escondida em sua aljava. O momento em que O Poderoso de Jacó, nos tira de Sua Aljava e enverga O Seu Arco, Ele não erra o alvo. A flecha precisa ser reta, senão se desviará! Precisa estar polida para perfurar o Alvo e prender-se nele.

Lutamos contra os cuidados do Todo Poderoso, quando Ele nos quer polir e endireitar. Pulamos dentro da Aljava insistentemente para que sejamos nós os eleitos para sermos lançados, e muitas vezes por nossas imperfeições ou por não estarmos prontos, nos desviamos e não atingimos O Alvo.

Moisés no deserto, viu uma geração inteira morrer... também viram isso Josué e Calebe. Eram seus irmãos e amigos, seu povo, seus familiares, companheiros na escravidão, companheiros na libertação, separados agora, no trajeto para o Alvo.

Arão perdeu dois filhos; Eleazar e Itamar seus irmãos mais velhos; Moisés perdeu parentes; Moisés perdeu seu irmão; Josué e a nação perderam Moisés... Vamos para o Alvo!

Às vezes esperamos que outros façam (eles sabiam realmente como fazer); outras vezes gostaríamos que outros fizessem (temos também o direito ao conforto); tantas vezes dizemos: Não vou fazer desta vez, que outros façam! Nos arrependemos de pronto e estamos lá de novo, por causa do Alvo!

Desde criança fui treinado para seguir... deixar os amigos, as casas, as lembranças, as alegrias, as vergonhas, as tristezas, as mágoas, os honras, os louros, as dores, os medos, tudo por causa do Alvo!

Por causa de David um homem morreu, mas, ele não desistiu e foi adorar; David perdeu um filho, e depois da triste notícia foi adorar; David foi criticado e zombado, mas, não parou de adorar; David fugiu tantas vezes e na escuridão da noite, ou no alvorecer do dia, lá ele estava... em adoração; roubaram tudo de David e quiseram matá-lo, mas, David foi adorar e na adoração recobrou forças; David não se contentou com a coroa, ele quis a Glória e a Presença de Deus; David não se contentou com a Presença de Deus, ele quis que ela fosse perpétua e por isso quis lhe construir uma Casa; David pediu uma coisa e a buscou: Poder habitar na Presença de Deus por todos os dias da sua vida.

Moisés foi enfático com Deus: Se não fores conosco, não nos faça sair deste lugar! Moisés creu e quis o que parecia impossível: Quero ver a Tua face, quero a Tua Presença Pai! Ele não sabe que não se pode ter tal coisa e continuar vivo? Não importa eu quero e eu vou!

Não importa! eu quero e eu vou... O Alvo nos está proposto!

O evangelho de Marcos relata que Jesus escolheu quem Ele quis. E os que Ele escolheu subiram até um monte, esforçaram-se para chegar até ele, porém dos doze, um se perdeu... Não importa! eu quero e eu vou...

João como todos os outros ficou com medo, confuso, e fugiu também, mas, Jesus estava lá crucificado, e não importa! Eu quero e eu vou... Ele subiu até o Gólgota, o Monte da Caveira, e lá esteve com Jesus, de quem ouviu: Está consumado! Eu alcancei o Alvo, ensine os outros que é assim que se faz!

João viu que o alcançar o alvo é um desprender-se de sua vontade humana, para cumprir a Vontade do Poderoso de Jacó, que nos lançou de seu Arco. É dizer como Jesus: Não seja feita a minha vontade, mas, a Tua. É realmente não se importar com o que é perecível e natural, e pode ser rasgado e moído e transpassado (como foi o Corpo de Jesus); Deus não vê aparência, vê coração. Ele (Jesus), não tinha beleza nem formosura; era reputado como um aflito, ferido de Deus e oprimido; mas, Ele verá o fruto do seu penoso trabalho! Ele se alegrará vendo suas feridas se transformando na cura de muitos; as injúrias, pecados e iniquidades que lhe foram imputadas sendo convertidas em perdão, reconciliação e restauração; Ele que foi a Oferta pelo pecado verá a Sua posteridade; Sua longevidade e a prosperidade do Eterno sobre as obras das Suas Mãos.

Não importa! Eu quero e eu vou...

Não se entristeça, se como um profeta o que tem recebido de Deus está se perdendo como sementes que estão caido à beira do caminho e então são roubadas por corvos. Procure uma terra fértil para semeá-la. Em outras palavras, não fique triste! Trabalhe com mais dedicação ainda.

Não se entristeça, se as pessoas reconhecem que o que tem recebido vem de Deus, mas, não se empenham por alcançar, nem se as pessoas se alegram mas demonstram estar mais interessadas nas coisas da vida cotidiana. Procure uma terra fértil para semear o que Deus tem te dado. Em outras palavras, não fique triste! Trabalhe com mais dedicação ainda.

Quando encontrar uma terra preparada e cuidada, semeie de manhã e também à tarde, você não sabe se esta ou aquela semente vão prosperar, ou as duas, mas semeie, e cuide da plantação e prepare-se, porque estão se aproximando os dias em que aqueles que semeiam se encontrarão com os que colhem...

Em outras palavras... deixe as coisas que para trás ficam e prossiga para O Alvo da Soberana Vocação de Deus em Cristo Jesus.

Feliz 2011!
O Ano da Presença de Deus!

Não importa! Eu quero e eu vou...


Paulo de Tarso, apóstolo

terça-feira, 21 de dezembro de 2010

Olhando para frente - Renato Brandão




Olhando para frente


Renato Brandão – 19.12.2010
Igreja Apostólica Betlehem
Rua Bom Pastor, 1140 – Ipiranga – SP
www.betlehem.com.
br



Tópicos


1. Todos podem fazer

2. Diferentes perfis

3. Fé

4. Galeria dos heróis da fé

5. Promessas e recompensas

6. Paixão pelo que fazemos

7. Semelhantes a Deus



Descritivo resumido


Vivemos em um mundo onde todos são diferentes em algo, é impossível encontrar dois indivíduos idênticos fisicamente, na maneira de andar, na forma de agir ou pensar. Sempre alguma coisa vai nos diferenciar.

No nosso meio sempre existirá pessoas que são sonhadoras ou planejadoras, outras controladoras ou organizadoras e as operacionais. Isto é normal e extremamente necessário, pois caso contrário o que seria do mundo se só existissem os sonhadores?

Normalmente os sonhadores são os primeiros a aparecerem, porque são eles que buscam as inovações ou iniciam os processos de mudanças. Pessoas com este perfil sempre precisam ter ao seu lado pessoas que conseguem estruturar os processos administrar os trabalhos e resultados.

Os dois perfis anteriores não funcionam sem as pessoas que realmente colocam a mão na massa, aqueles que fazem os trabalhos acontecerem. Este tipo de individuo ele tem a facilidade de começar e terminar diferentes atividades em diversas áreas.

Nenhum destes perfis é mais ou menos importante, a sequência descrita apresenta a escassez dos perfis.

Deus usará cada um em sua forma de ser e de se apresentar para o trabalho, por isso a importância da disposição é fundamental.

Já discutimos algumas vezes o conceito de fé em nosso meio, nunca é demais falarmos novamente.

Perseverança até o final é a marca daqueles que conhecem a Cristo. Jesus disse em Ap 2:10 “Seja fiel até a morte, e eu lhe darei a coroa da vida”.

Esta coroa é aquela mesma que não merecemos, por causa de nossas falhas e pecados, e o único digno de recebê-la é o próprio Jesus, por ter cumprido tudo o que o Pai lhe propôs e Ele aceitou por nossa causa.

A marca da paixão por Jesus deve ser presente todos os dias em nossas vidas. É só por Ele e para Ele que deveremos nos reportar um dia. Não sabemos ao certo esta data, mesmo porque não compete a nós o controle dos tempos, como já dito por Jesus.

Leitura Hb 11:1-3 (exemplos de fé).

Este capítulo é a “galeria da fama” dos heróis da fé, pois mesmo sem terem conhecido e visto Jesus, viveram para adicionar esperança à nossa fé. Eles viveram de forma que não puderam usufruir na Terra o que esperavam, mas a certeza destas promessas queimava dentro deles.

Muitas promessas nos são feitas durante uma vida, mas quantas delas temos certeza que vêm de Deus? Não é fácil distinguir, mas se estivermos conectados com o Espírito Santo isto fica muito mais fácil. Ele é nosso amigo fiel e verdadeiro, não quer virar as costas nem mesmo quando erramos algumas vezes Ele precisa se apartar de nós, porque Ele não pode dividir o mesmo espaço com o pecado, mas é certo que Jesus só espera o nosso pedido de perdão e arrependimento para se colocar novamente ao nosso lado.

Moisés sabia que era peregrino e estrangeiro na terra (Ler Hb 11:13). Ele compreendeu a natureza transitória da sua peregrinação e esperou pela recompensa de Deus mais além. Junto com Enoque, Noé, Abrão, Sara, Isaque, Jacó, José, Josué, Raabe, Gideão e muitos outros.

Moisés percebeu que não receberia neste mundo o que lhe tinha sido proposto (Ler Hb 11:39).

José é um exemplo de homem que nunca desistia de ser excelente, em todo lugar que foi colocado ele foi reconhecido como muito melhor que bom, ele era excelente. Desde a casa do faraó e a prisão, chegando a ser governador do Egito, mesmo sendo estrangeiro.

Para sermos pessoas cuja visão da vida seja compatível com os propósitos de Deus, precisamos desenvolver uma paixão pelas coisas que Deus considera importante. Nossa fé precisa ser caracterizada pela “certeza daquilo que esperamos e a prova das coisas que não vemos”.

Não da para deixar de lado as evidencias que as pessoas são motivadas por recompensas, e Deus entende isto, pois foi Ele que nos fez assim. A Bíblia esta repleta de promessas sobre as recompensas que Deus entregará para aqueles que os seguem.

Uma visão bíblica é formada pelas promessas, pelos exemplos e pela pessoa de Deus, e esses aspectos nos dão estabilidade e foco para a ação. As incertezas deste mundo pode muitas vezes nos entristecer, mas temos que ser seguros que temos onde nos apoiar, pois estamos em constante transformação e aprendizado. Sem a fé em Jesus não somos nada e nossa esperança é nula.

Quantos dos personagens deste texto de Hebreus encontram-se desta forma. Diversas vezes questionaram a Deus, erraram, consertaram-se, fizeram grandes obras, alcançaram objetivos e vitórias. A vida de todos eles foi uma mistura de acertos e erros, mas a Bíblia nos diz e garante que finalmente eles foram inabaláveis na fé, e desta forma foram lembrados por Jesus no dia em que Ele saqueou o inferno e trouxe com Ele a chave da vida e da morte.

Quantas pessoas conhecem ou já encontraram o que esperam em Cristo pelo seu destino eterno e mesmo assim esperam e buscam por tudo o mais neste mundo?

Com que freqüência nos parecemos com elas?

Como podemos nos apropriar da visão de Deus para nossas vidas, e como essa visão influencia seu chamado, sua carreira, seus estudos, sua família e seus objetivos?

Participar da corrida da vida exige condicionamento de atleta espiritual e a visão afinada com o Senhor. Nós, seguidores de Jesus precisamos primeiro nos livrar de qualquer problema e pecado que nos atrapalhem e diminuam nossa velocidade, para assim podermos focar nossa atenção em Jesus.

Ele correu a corrida da fé antes de nós e vai levar até a linha de chegada aqueles que crêem nele para a salvação.

As promessas do Senhor são maravilhosas (Ler Je 29:11-14). Deus não é mesquinho e nos recompensa com “doces” quando fazemos coisas certas e boas, mas Ele é coerente e nos ama acima de tudo, fomos criados segundo sua semelhança.

Você é parecido com Deus, já pensou nisto? Existe algo em você que é igual a Deus.

Jesus é a porta perfeita por onde devemos passar, é por onde podemos buscar a vida e a vida plena e eterna (Ler Jo 10:7-10).

Muitas coisas são importantes para nos levar ao alvo, mas umas delas são muito importantes, a paixão e a disposição com que nos empenhamos para fazer.

Procure dentro da igreja um líder de ministério e coloque-se a disposição para o trabalho. Deus te usará da forma que Ele te fez, certamente você tem alguma habilidade que poderá ser juntada a sua disposição e terá grande valor para o Corpo de Cristo.



Ferramentas


Espero que esta ministração tenha te apresentado coisas novas ou tratado de assuntos que você já conheça e que são importantes para você, assim como aconteceu comigo durante a preparação do conteúdo.

Você não tem a obrigação de reportar a ninguém suas respostas, mas se sentir vontade procure alguém e converse.

Deixe o Espírito Santo de Deus tocar seu coração e sincronizar suas idéias com as de outras pessoas gerando atitudes e discussões para melhorar o que Deus já te entregou. Desta forma acredito que a edificação será muito mais sólida e duradoura.

Utilize-se de todas ou ao menos algumas das perguntas e afirmações abaixo como ponto de partida para conversas que serão usadas para os propósitos de Deus.


a. Anote a descoberta pessoal e chave que Deus te revelou nesta mensagem.

b. Onde sua fé esta atracada hoje?
c. Liste três promessas pessoais que Deus já te entregou e se cumpriram.

d. Liste três promessas pessoais que Deus já te entregou e ainda não se cumpriram.

e. Quais são suas aptidões que podem ser usadas na igreja hoje.

f. Você trabalha ativamente em algum ministério hoje? (Sim) Qual (is)? (Não) Porque não?
g. Caso você tenha respondido não na questão anterior, você tem disposição e quer se envolver em algum trabalho na igreja?

(Sim) Então procure um dos ministros de sua igreja para saber como você pode ser envolvido nos trabalhos.

(Não) Então continue orando para que Deus te direcione e te mostre onde você pode ser útil com seus talentos.

h. Veja dez motivações relacionadas à paixão por Deus e pela sua obra para te inspirar, são somente exemplos e podem ser usados ou não, mas é importante cada buscar suas próprias motivações em Cristo.

• Apaixone os que estão à sua volta.
• Quando for chamado vá à frente e não faça de conta.
• Certifique-se de que a paixão não se perca ou se contamine.
• Seja mordomo dos bens de Deus.
• Confie que Deus proporcionará os resultados.
• Use a paixão como combustível.
• Busque andar com pessoas que o completem.
• Não confunda confidentes, eleitores e camaradas.
• Deixe que as pessoas entendam você.
• Permaneça apaixonado mesmo entre as batalhas.

segunda-feira, 29 de novembro de 2010

CHANUKÁ BETLEHEM / 2010


Chanuká / 2010 - A Luz da Paternidade


"Paulo, apóstolo de Cristo Jesus pela vontade de Deus,..., a Timóteo, amado filho... te aconselho a ativar o dom de Deus, que há em ti pela imposição das minhas mãos." (2Ti 1:1-6)

Conversando dias atrás com um profeta que influenciou muito o evangelho de Cristo em nossa nação disse a ele, que se não tomarmos atitudes agora, para que A Palavra que veio da parte de Deus se manifeste em nossa geração, daqui a uns 15 ou 20 anos, jovens ouvirão de Deus, as mesmas palavras e as receberão como uma grande revelação, justamente, porque em nossa geração não cuidamos do relacionamento entre pais e filhos que deixa herança e que gera continuidade do que foi conquistado.


Por certo temos sido agitados de um lado para outro com todo tipo de modismo, novas doutrinas, métodos, e neste grande Universo, Deus nunca deixou de usar seus profetas e pelo seu próprio Espírito, jamais deixou de nos instruir a continuar crescendo na edificação do Corpo de Cristo. Tantas vozes, no entanto, tanta informação, nivelaram (como se isso fosse possível) direções claras de Deus para amadurecermos como seus filhos, com todo tipo de obra da carne fruto do orgulho e vaidade.


A ativação dos ministérios de intercessão; um novo fluir profético; a restauração de uma adoração em santidade a Deus; a restauração apostólica; o novo despertar dos ministérios evangelísticos e de ensino; o novo despertar entre judeus que passaram a reconhecer Yeshua como O Mashiach; o despertar dos pequenos grupos e do evangelho sendo pregado nas casas; o renascimento do discipulado; a conversão dos corações de pais e filhos e a honra aos que nos antecederam; tudo isso tem sido maculado, diluído e ofuscado, porém O Nosso Deus permanece para sempre! Aleluia!


Que estratégia antiga esta de Satanás, de tornar "oficial", de conferir uma "marca", um logotipo àquilo que é espontâneo e nasceu pelo Espírito de Deus. O que é para todos naturalmente, passa a ser codificado por alguns, que reivindicam "direitos autorais" e "patentes", sobre o que legitimamente nasceu em Deus. Infelizmente tem sido assim, mas, quando caminhamos o caminho da Restauração, e o Diabo tenta nos enganar de que este não é o Caminho certo, quem deve sair do Caminho é ele, e não nós. Não devemos sair, nem retroceder, devemos permanecer, voltados para a simplicidade, para as primeiras obras, para a exatidão do que Deus falou por seu Espírito, respaldado por Sua Palavra.


Na nossa celebração de Chanuká - DEDICAÇÃO - neste ano, entendi que deveria reconsagrar, rededicar, reafirmar, limpar, purificar, santificar este princípio estabelecido por Deus em Sua Palavra e em nossas vidas através da Família, que é a PATERNIDADE.


Os homossexuais estão se casando; e os casais cristãos estão se divorciando; os gays e lésbicas estão adotando crianças e os pais cristãos entregando seus filhos à toda sorte de destruição, porque só se preocupam com eles mesmos; alguns tomam os títulos de apóstolos e de pais ou patriarcas na frente de seus nomes; enquanto alguns que realmente estão entesourando para seus filhos e estão ocupados na formação de uma nova geração vão cansando o braço, e "ou", sendo desmotivados, pelo modismo que dilui a revelação de Deus.

Quando a Igreja, tornou-se a religião oficial do Império Romano, certamente muitos disseram: Não foi isso que Jesus Cristo gerou, mas, sempre houve e sempre haverá um remanescente fiel, em TODAS AS GERAÇÕES, que não deixará o fogo da pureza e da Verdade da Palavra em detrimento da mentira, do engano, da sedução, do acordo com as trevas, e como pais vão dar às futuras gerações, e aos milhões que se converterão em nossos dias A VIDA DE DEUS que lhes foi compartilhada através dos Apóstolos do Cordeiro, e que nos chega hoje, para que simplesmente possamos servir aos que virão depois de nós.


Neste Chanuká de 2010, eu quero reascender a Luz do zêlo dos pais para com os filhos, e quero declarar, que os pais verdadeiros não entesouram para si mesmos, mas, para os filhos que O Nosso Deus lhes deu; pais que andarão No Caminho e dirão aos filhos: Este é O Caminho, ande por Ele! Pais, que ensinarão honra aos filhos para que se lhes multipliquem os anos de vida e a prosperidade de Deus; pais que não gerarão filhos pra si, que não formatarão seus filhos para que pareçam consigo, mas, com Jesus.


Se houve violação, e profanação deste e outros princípios de Deus, o que nos cabe, não é desistir da Casa de Deus, mas, reconquistá-la, limpá-la, purificá-la e então entregar a Deus algo que seja realmente puro e digno, conforme O Seu Mandamento para conosco.


Ao Nosso Deus e Pai, Honra e Glória devidas ao Seu Eterno e Maravilhoso Nome!


Que a Luz de Deus ilumine teu caminho, e você ande ainda que na escuridão com firmeza, tornando-se referência neste tempo de densas trevas, como uma lâmpada de Deus.


HAG SAMÊIACH! HAG CHANUKÁ SAMÊIACH!

Paulo de Tarso, Apóstolo.



(Se quer saber mais sobre esta festa veja nos links abaixo, outros artigos anteriores do nosso BLOGLEHEM)

http://bloglehem.
blogspot.com/2009/12/nao-importa-vamos-adorar-deus.html

http://bloglehem.blogspot.com/2009/12/chanuka-dedicacao-consagracao-e.html

Agenda Betlehem - Dezembro / 2010




terça-feira, 16 de novembro de 2010

100 Anos do Espírito Santo sobre O Brasil



A Glória de Deus sobre os ombros dos levitas

1Cr. 15:15 - "E os levitas trouxeram a arca de Deus sobre os seus ombros, pelos varais que nela havia, como Moisés tinha ordenado, conforme a palavra do Senhor."


19 de Novembro de 1910, chegam em Belém do Pará, dois suecos, cheios do Espírito Santo e envoltos numa palavra profética que apontava para aquele estado. Dois homens impactados pelo avivamento que se manifestou no início do Século XX, vêm até o Brasil trazendo dentro deles, uma chama que Jesus disse que a partir de Jerusalém e dos primeiros apóstolos alcançaria até os confins da Terra.

Deus escolhe o povo nortista e nordestino, fatigado pela seca, pela falta de recursos e longe de oportunidades do sudeste brasileiro, para incendiados espalharam-se pela nação levando este fogo, assim como as raposas nos campos dos filisteus nos dias de Sansão. Em todos os lugares levaram consigo O Fogo de Deus.

Meu avô, um paraibano, descendente de holandeses (e talvez de judeus), à época na marinha brasileira, entregou sua vida para Jesus, quando numa tarde em Recife, parou numa praça para ver dois meninos negros, descalços e sem camisa, orando em línguas espirituais, coisa que o marcou tanto, que o fez parar para ouvir sobre Jesus Cristo. Dias depois minha avó, nascida em Recife, sofrendo de grande dor, rejeitou a oração de uma amiga sua, que pertencia à "nova seita". Esta mulher disse à minha avó: Irene, se você entregasse sua vida a Jesus, Ele poderia curá-la. Minha avó a expulsou de sua casa, mas, disse quase desfalecendo de dor: Se esse Jesus da "nova seita" existe mesmo, e Ele me curar, eu o servirei por toda a minha vida... E logo após isso dormiu e acordou como uma nova criatura, como filha do Deus Altíssimo. Eles embarcaram em Recife e vieram até o Porto de Santos, trazendo consigo minha mamãe no ventre e o Fogo de Deus em seus corações!

Eu sei que daqui há alguns meses, uma das igrejas que nasceu deste avivamento celebrará seu centenário, mas, não foi uma denominação que O Espírito veio criar, mas, gerar neste povo uma Noiva para O Cordeiro.

Me sirvo destes dois relatos, porque é nossa a responsabilidade de trazer de volta a Glória de Deus que foi esquecida em algum lugar no passado. Assim como nos dias de David ele cobrou ânimo do povo, para juntos irem buscar a Arca da Aliança, desde Saul esquecida, entendo que é hora de nos juntarmos, ora, de convergirmos nosso coração e nossos esforços...

Temos testemunhos bíblicos que a maneira humana e cheia de pompa e de holofotes para as ações humanas geram morte (como no caso de Uzá e de tantos movimentos que nascem legítimos, mas, que se perdem pela falta de submissão à verdadeira Palavra de Deus)... Já o esforço dos Adoradores, em trazer a Glória de Deus em seus ombros, e de sacrificar, sacrificar e sacrificar... Até que a Glória venha sobre nós, é o que nos deve mover nesta hora.

Temos motivo à beça, para nunca mais nos reunirmos, tudo já deu errado antes, já falhamos em tantas tentativas, tanta gente se levantou para o mundo da fama, e isso entristece tanto... Quantas quedas, quantas vergonhas, quantas mortes...

David entristeceu-se também, mas, foi buscar a Deus a respeito de como a Arca e a Glória de Deus poderia vir até ele, e a resposta foi: Segundo a Palavra de Deus... Sobre os ombros dos Adoradores (com esforço pessoal em todas as áreas), e com sangue, muito sangue, muito sacrifícios de adoração (Fruto dos lábios que anunciam a Cruz do Calvário e a Ressurreição de Jesus).
Não é um dia para nós comemorarmos, é um dia e um tempo pra clamarmos por algo muito maior e crer que precisamos dar a nossa vida por alcançá-lo.

Abaixo copio um cântico do Gal. Willian Booth (Fundador do Exército da Salvação). A letra deste cântico tem falado demais comigo, porque é a síntese do clamor do nosso coração... Precisamos do Fogo, porque queremos a Glória. Precisamos da Glória, porque queremos mostrar um Jesus vivo à nossa geração.
Ó Cristo, chama que queima e que limpa
Envie o fogo
Seu dom comprado pelo sangue nós pedimos hoje
Envie o fogo
Olhe para baixo e veja esta multidão esperando
Dê-nos o prometido Espírito Santo
Queremos um novo Pentecostes
Envie o fogo

Deus de Elias ouça nosso clamor
Envie o fogo
Para fazer-nos aptos para viver ou morrer
Envie o fogo
Para queimar todo rastro do pecado
Para trazer a luz e a glória por dentro
A revolução começa agora
Envie o fogo

É o fogo que queremos, pelo fogo que clamamos
Envie o fogo
O fogo satisfará todas as nossas necessidades
Envie o fogo
Por forças para sempre fazer o que é certo
Por graça para conquistar na batalha
Por poder para andar no mundo vestidos de branco
Envie o fogo

Para tornar nossos fracos corações fortes e valentes
Envie o fogo
Para viver para salvar um mundo que está morrendo
Envie o fogo
Vê nos entregar no seu altar
As nossas vidas, nosso tudo, neste mesmo dia
Para coroar o sacrifício agora oramos
Envie o fogo
General William Booth - Thou Christ of Burning, Cleansing Flame
Paulo de Tarso, apóstolo

quinta-feira, 11 de novembro de 2010

O TEMPO QUE NOS RESTA NA CARNE


O TEMPO QUE NOS RESTA NA CARNE
“Ora pois, já que Cristo padeceu na carne, armai-vos também do mesmo pensamento; porque aquele que sofreu na carne deixou o pecado; para que, no tempo que ainda vos resta na carne, já não vivais de acordo com as paixões dos homens, mas segundo a vontade de Deus”. (1Pe 4:1-2)

Tem me parecido que todas discussões teológicas, e dúvidas e diferentes posicionamentos e doutrinas, que apareceram na Igreja de Cristo sofreu nestes dois mil anos, voltaram hoje à pauta de uma só vez, numa desordenada dança sem qualquer ritmo, cadência ou movimento lógico. No que tange a nossa redenção então, é o campo mais espinhoso, porque alguns entre nós se declaram “as testemunhas de Apocalipse 11”, outros por muitos anos já estocam alimentos e água para suportarem a Tribulação, outros entendem que devem se fortalecer espiritualmente para combater o Anticristo e o Falso Profeta, enquanto outros ainda esperam a volta de Jesus, para livrá-los do Juízo que este mundo todo sofrerá.
Há pessoas que entendem que passaremos por parte da Tribulação quando seremos provados, outros que acham que a Igreja avivada e cheia de poder combaterá o Anticristo, e embora perseguida experimentará grandes vitórias espirituais, e uma grande colheita de almas.
Muitos entendem que a Igreja deve fazer todo e qualquer esforço para alcançar as pessoas do mundo que não conhecem a Cristo e por isso devem usar métodos de crescimento, técnicas de marketing para atrair fiéis. Outros devem trabalhar com o caráter das pessoas, e treiná-las a não pecar, não se contaminar com o mundo, e muitas se fecham em pequenos grupos, como que se protegendo do Sistema Mundial, governado pelas trevas.
O que pareceu unir a Igreja há pouco tempo, a Restauração dos Ministérios do Cordeiro, são agora um dos maiores pontos de divergência, visto, que alguns se auto-intitularam apóstolos e profetas, e enquanto uns acreditam que estes ministérios devem prestar para a Edificação da Igreja, outros, entendem que são títulos meritórios, por uma vida a serviço do Evangelho, ou um potencial a ser desenvolvido por alguém dinâmico ou contestador...

Não alcançamos a UNIDADE NA FÉ, e cada vez mais estamos distantes uns dos outros, e cada um que conhece um pouco, se arma por suas convicções pessoais e pelo direito de usufruir de sua liberdade... Houve um tempo em que tudo corria mais ou menos assim...

“Naqueles dias não havia rei em Israel; cada um fazia o que parecia bem aos seus olhos”. (Jz. 21:25)

Cada um que já leu o livro de Juízes, sabe que não dá muito certo este tipo de liberdade independente que vivemos hoje, como cristãos em nossa geração.

Há adoração a anjos, há culto à personalidade, há técnicas psicológicas, há técnicas de venda, e técnicas de mercado para que igrejas transformem-se em franquias, há envolvimento com as trevas, há a institucionalização do adultério e o reconhecimento do divórcio, há inclusive lugares que aceitam os homossexuais na prática do pecado de homossexualismo, e até líderes cristãos que reconhecem sua condição de homossexuais e defendem que podem continuar no exercício de seus ministérios.


QUEM PODE DETER A MANIFESTAÇÃO DO HOMEM DA INIQUIDADE, O FILHO DA PERDIÇÃO?

"Pois o mistério da iniqüidade já opera; e aguarda somente que seja afastado aquele que agora o detém; e então será revelado esse iníquo, a quem o Senhor Jesus matará como o sopro de sua boca e destruirá com a manifestação da sua vinda;" (2Ts. 2:7-8)

Me parece que o mistério da iniqüidade que fala o Apóstolo Paulo, é revelado para João (Ap. 17:5), como a Babilônia, a grande prostituta e mãe de todas as abominações, e percebemos que já há influência e operação deste espírito que quando plenamente manifestado trará a revelação do Iníquo. Assim como já há uma manifestação espiritual, há também um impedimento espiritual para este TEMPO DE INIQUIDADE, e o responsável por esta resistência é O ESPÍRITO SANTO DE DEUS.

Mas onde está a se manifestar O Espírito Santo? Onde há resistência? Onde efetivamente estamos indo à frente e não presos e cercados? Se o espírito da iniqüidade vem operando (e sabemos disto), nos filhos da desobediência, onde estará O Espírito Santo de Deus em operação?

Quando Jesus escreve às 7 Igrejas em Apocalipse, nos chama atenção as disparidades entre as duas últimas: Filadélfia e Laodicéia. Para uma Jesus tem uma porta aberta que ninguém pode fechar, mas a outra Jesus está do lado de fora e bate na porta pedindo que lhe abram; Uma guardou a Palavra de Jesus e não negou o seu Nome e a outra é morna (nem quente nem fria, em cima do muro, um pouco mundana, embora cristã), está a ponto de ser vomitada da boca do Senhor; é rica, abastada, de nada têm falta; Uma tem pouca força, a outra é rica e abastada e diz que não precisa de coisa alguma; Uma é admoestada a conservar o que possui (uma coroa), pois será livre em breve da provação que há de vir sobre todo o mundo, a outra, não percebe que é miserável, pobre, cega e está nua. Esta última é aconselhada por Jesus para adquirir Ouro Puro (A Glória de Deus), Vestes brancas (Santidade), e colírio para os olhos (talvez a sujeira do mundo esteja lhe ofuscando a visão). A uma Jesus adverte: Conserva o que tens, à outra Jesus declara seu Amor, e diz a ela que não vai desistir! Ele continua à porta e continua batendo...
Aos que da primeira igreja vencerem, serão firmados como Colunas no Santuário de Deus, já os da Igreja de Laodicéia que vencerem assentar-se-ão com Cristo, em seu Trono, assim como Ele venceu e se assentou à destra do Pai.

O apóstolo Pedro nos adverte, a nos ARMARMOS de um PENSAMENTO: Assim como Jesus sofreu na carne (lutou contra o pecado e o desejo do pecado), e venceu o pecado, também nós NO TEMPO QUE NOS RESTA NA CARNE, soframos (lutemos contra o pecado, e contra o desejo do pecado), para que não vivamos segundo as paixões dos homens, mas, segundo a Vontade de Deus.

Se há alguém impedindo a manifestação do Anticristo, este é O Espírito Santo, e sua manifestação talvez não se dê na Igreja que é auto-suficiente, mas, sim naquela que tem pouca força, pois A Força do Nosso Deus se aperfeiçoa em nossa fraqueza.
A Igreja que quer edificar um Império aqui na Terra, certamente não é a Igreja que anseia pela manifestação do Reino de Deus. Fala sobre o Reino, mas, talvez míope, pense que isso se trata de seu crescimento e influência em milhares de pessoas, e líderes. A Igreja com pouca força, ansiosamente anseia e clama com O Espírito pela Vinda de Jesus.
Há uma verdade que creio ter visto, e desejo sacar disto tudo! O Espírito Santo que resiste e que DETÉM (TEM FORÇA PARA IMPEDIR), o espírito da Iniquidade, está em nós, conosco... (Eis que estarei convosco todos os dias até a consumação do século!). Não estamos cercados, estamos cercando. A Autoridade e O Poder estão conosco, porque O Espírito que age em nós é mais poderoso do que o espírito que age no mundo, a ponto de detê-lo e impedir a manifestação da Babilônia.

Não é tempo ainda do mal, é o nosso tempo... A Igreja passa por problemas, mas, através de nós mesmos, Jesus continuará batendo na porta clamando que lhe abram, para que haja uma Festa, uma Ceia.

É tempo de pregar para os não cristãos, é tempo de pregar para os cristãos! É tempo de purificar as nossas vestes, é tempo de ser um exemplo para o mundo e para a Igreja.

É tempo de buscar a face do Deus de Jacó. O Deus que pode mudar o destino de uma vida. A geração que buscar a Face de Deus, será como Aquele que pode subir ao Monte Santo do Eterno e ali permanecer. Pois tomará sobre si, a Justiça e a Santidade d´Aquele que é limpo de mãos e puro de coração, a saber: JESUS CRISTO DE NAZARÉ!
MARANATA! VEM JESUS.

Levantem portas, as vossas cabeças! Levantem-se portais eternos! Quem é o Rei da Glória? O Senhor dos Exércitos, Ele é O Rei da Glória!
YESHUA HAMASHIACH HU MÉLECH HAKAVOD!
(Jesus Cristo, Ele é O Rei da Glória).

Paulo de Tarso, Apóstolo

terça-feira, 26 de outubro de 2010

ACENDA A LUZ POR UM AVIVAMENTO NO BRASIL


Neste domingo (31/10) a partir das 22:00,
acenda as luzes de sua casa e comece a orar para que Deus derrame
um Avivamento verdadeiro sobre a Igreja de Cristo em nossa nação!

MULTIPLIQUE O ALCANCE DESTE DESAFIO!!!

Estive gravando na noite de ontem um programa na RIT (Tv da Igreja Internacional da Graça de Deus do Missionário RR Soares), o Tema foi AVIVAMENTO, e este programa vai ao ar neste domingo a partir das 20:30. Eu o deveria ter feito ao vivo cerca de um mês atrás, mas, pela providência de Deus, este programa passou a ser gravado e o primeiro programa de uma hora e meia foi comigo e sobre este assunto.

Deus falou comigo sobre um desafio aos cristãos no Brasil, para que na noite deste domingo todos acendamos as luzes de nossas casas e comecemos a orar por um VERDADEIRO AVIVAMENTO EM NOSSA NAÇÃO. Este programa tem um alcance nacional, e até em países da Europa, América Latina e Ásia ele é visto através de satélites, e no horário que este programa estiver terminando já saberemos quem será o novo presidente do Brasil. Não importa quem seja nosso futuro presidente, neste momento da história do Brasil precisamos de Deus mais do que tudo em nossas vidas e em nossa nação!

Neste dia 31 completam-se 493 anos da Reforma Protestante de Martinho Lutero (faltam apenas 7 anos para o 10º JUBILEU do passo que começou a nos levar de volta a Deus e ao Cristo Verdadeiro).
Neste mês de Novembro que se inicia nesta noite (31/10 para 01/11) se completam 100 anos que chegaram ao Brasil Daniel Berg e Gunnar Vingren (19/11), trazendo O Fogo do Avivamento para o nosso país.

Nesta noite haverá festas por todo o país pela eleição do novo presidente. O mundo celebra também no dia 31 o dia das bruxas; logo dia 02 celebra-se no Brasil o dia dos mortos...

Sei que muitos irmãos espalhados por todo o nosso país têm jejuado, orado e buscado a Deus com o coração sincero e com a convicção de que precisamos de Deus, desesperadamente precisamos que O NOSSO ABA RASGUE OS CÉUS E DESÇA sobre a nossa nação.

Nos ajude a tocar O Brasil através do teu esforço pessoal nos próximos dias até domingo, para que olhando para esta Terra, neste período de densas trevas, O Nosso Deus e Pai, possa ver tantas casas acesas, possa ouvir tantas orações sinceras, possa sentir o calor de tantos corações queimando, (assim como está o teu coração pela Presença Dele) e possa colher tantas lágrimas de verdadeiro arrependimento e quebrantamento pelo estado em que nos encontramos como Igreja e como nação que então Ele possa ouvir o nosso clamor e nos responder do seu Alto e Sublime Trono com Seu Fogo Purificador!

Estejam cingidos os vossos lombos e acesas as vossas candeias; e sede semelhantes a homens que esperam o seu senhor, quando houver de voltar das bodas, para que, quando vier e bater, logo possam abrir-lhe. Bem-aventurados aqueles servos, aos quais o senhor, quando vier, achar vigiando! Em verdade vos digo que se cingirá, e os fará reclinar-se à mesa e, chegando-se, os servirá. Quer venha na segunda vigília, quer na terceira, bem-aventurados serão eles, se assim os achar. (Lc. 12:35-38)


Paulo de Tarso, apóstolo

sábado, 2 de outubro de 2010

Os samaritanos e as águas

Encerramos este período tão maravilhoso de Festas e precisamos agora de uma direção clara de como caminhar debaixo dos Olhos do Nosso Deus. Para isso, precisamos meditar na profunda relação que há entre as promessas da Festa de Tabernáculos e o povo da mulher para quem Jesus pediu água.

A cidade de Samaria, foi fundada por Onri, pai de Acabe que se casou com Jezabel. Nestes tempos tornou-se esta cidade capital do Reino dividido de Israel, chamado de Reino Norte. Marcas profundas de terem abandonado a Deus estão desde a origem deste povo, como os Bezerros de Ouro de Jeroboão; os sacerdotes levitas que ensinavam práticas da adoração ao Nosso Deus e que permitiam mistura com o culto de falsos deuses e chegam ao cúmulo de se prostituirem com Baal e com a Rainha dos Céus, através de Jezabel. Assim eram os samaritanos, um povo misturado, que não conheciam a Palavra de Deus e que se moviam de forma religiosa, por suas ambições pessoais sem se importar com Deus.
Foi este povo para quem Deus levantou Elias, que confronta Acabe e toda a nação, para decidirem se deveriam servir ao Deus Vivo, ou a Baal. O Deus que tivesse poder de responder com fogo, Esse era verdadeiramente Deus!

Elias torna-se um Shofar e é usado por Deus para confrontar o Rei Acabe e o povo no cume do monte Carmel. Ali Elias apresenta numa das mais famosas guerras de altares de todos os tempos: Doze Pedras, madeiro, um sacrifício e água, muita água, doze cântaros cheios de água, que foram derramadas sobre O Altar, até que uma vala cavada por Elias estivesse transbordando. Elias invoca A Presença de Deus, e fogo cai do céu, e à uma toda a nação começa declarar que SÓ O ETERNO É DEUS!

Salta aos nossos olhos que a mesma sequência dos dias do Sétimo mês (mês da celebração da Festa de Tabernáculos), estava acontecendo nos dias de Elias. Primeiro o toque do Shofar, depois o dia de quebrantamento e arrependimento; depois a apresentação de sacrifícios diante de Deus, e por fim a resposta de Deus com chuvas para uma grande colheita e para uma grande Festa.

Elias além de ser o Shofar, leva todo o povo a quebrantar-se e reconhecer que só O Eterno é Deus, e então ele avisa para Acabe: Vai chover, já ouço ruído de grande chuva! A terra seca por mais de três anos, agora é banhada pela bênção de Deus, neste tempo de arrependimento.

Parecem concordar todas estas coisas com as palavras do Profeta Joel que diz: Toquem O Shofar, congreguem uma Assembléia Solene, até os noivos venham orar; Sacerdotes que chorem entre o Pórtico e o Altar e declarem: Deus não destrua a tua herança!
Depois disto, a promessa: Os desertos reverdecerão, a videira e a figueira darão juntos os seus frutos, porque assim como Deus enviou as primeiras chuvas, assim também virão as últimas chuvas.

Jesus no último dia, o Grande dia da Festa de Tabernáculos declara ao lado do Tanque de Siloé (Palavra que quer dizer: Apóstolo, Enviado em hebraico): "Se alguém tem sede, venha a mim e beba. Quem crê em mim, como diz a Escritura, do seu interior correrão rios de água viva." (Jo 7:37-38)
Neste último dia de Festa o Sumo Sacerdote derramava sobre O Altar, como oferta de Libação a Deus, um jarro de água, tomado no primeiro dia do tanque de Siloé. Que coisa mais linda!
Os sacerdotes e o povo choram e Deus manda chuvas; Elias derrama doze cântaros de água e Deus envia uma forte chuva; Jesus, O Apóstolo do Pai diz: Quem tem sede, venha a mim e beba.... e então torne-se uma fonte de água viva. Todas estas coisas parecem que estão falando de uma só... Parecem todas apontarem para aquele encontro, o encontro provocado por Jesus, com uma mulher samaritana, uma mulher cheia de problemas, de vida promíscua, que tinha uma religião, mas, era sozinha e infeliz e que tinha ido até um poço buscar água, até que se encontra com uma Fonte de Vida que é Jesus, e que por incrível que pareça lhe pede: "Dá-me de beber da tua água!"
Elias é O Shofar de Deus na Terra de Samaraia, Elias profetiza a reunificação das doze tribos, na Terra de Samaria; Elias derrama águas diante no Altar para Deus, na Terra de Samaria; Deus responde com fogo na Terra de Samaria; As chuvas depois de tanta seca se derramam na Terra de Samaria;... Na Terra de Samaria Jesus vai e pede Água para a mulher Samaritana, figura da Igreja, da Igreja corrompida, religiosa, que prostituiu-se com muitos amantes, mas, que continua amada e importante para Deus.
O povo samaritano é assim, um povo misturado, complicado, que não conhece a Deus de verdade, que conhece apenas histórias religiosas, mas que nunca encontrou-se com o Aba face a face; que está sedento e sozinho, porque nunca bebeu da Fonte da Água da Vida.

Certa vez dez leprosos clamaram para que Jesus os curasse, e Jesus os envia para apresentarem-se para O Sacerdote, com dizia a Lei, e indo todos são sarados... Porém um deles era um Samaritano e deve ter pensado: Ué, eu sou samaritano, eu não tenho templo, não tenho sumo-sacerdote, não tenho acesso a Jerusalém... E este veio e prostrou-se diante de Jesus, e verdadeiramente foi ele o único, que encontrou O Sumo-Sacerdote Verdadeiro, O Único Santo! Os samaritanos são assim... Não sabem de muita coisa, mas, quando conhecem a Verdade se apegam a Ela.
Jesus conta uma parábola, para responder a um judeu religioso, quem é o amigo do Judeu. Ele conta que enquanto um judeu, um sacerdote e um levita estão indo para a cidade do pecado (Região de Samaria), há um Samaritano que está NO CAMINHO, indo para Jerusalém, a Cidade do Grande Rei. Enquanto aqueles afastavam-se de Deus, este cada vez estava mais perto e por isso manifestava mais o caráter e o Amor de do Pai.
O Samaritano vendo o judeu caído lhe aplica sobre as feridas Azeite e depois Vinho. Primeiro a Unção do Espírito Santo e depois o Poder do Sangue de Jesus, sabe por quê? Porque Ele têm estas coisas, e antes dela a Compaixão de Deus, pelo caído e ferido, Ele Ama com O Amor de Deus; Ele ama quem o rejeitava, porque ele sabe quem ele é para Deus!
A promessa de Joel, é que as Últimas Chuvas cairão assim como as primeiras. No dia de Pentecostes Jerusalém estava cheia de gente do mundo inteiro... "Porque Deus amou O Mundo de tal maneira que deu O Seu Filho Unigênito, para que todo o que Nele crê, não pereça, mas, tenha a Vida Eterna" (Jo. 3:16); As últimas chuvas virão para aqueles que chorarem e apresentarem suas águas para Deus; Os que se banharem no Arrependimento, serão saciados da Água da Vida; O Deus que responde com Fogo, nos fará transbordar do Trigo (Palavra), do Vinho Novo (Poder do Sangue de Jesus), e do Azeite (Poder do Espírito Santo), todas estas promessas são para os Samaritanos; todas elas são para todos os que ouvirem O Shofar tocando, e que se derramarem Diante de Deus.
A Mulher Samaritana deixa o seu Cântaro aos pés de Jesus e vai falar para toda sua cidade que havia encontrado O Cristo (Mashiach, Messias), quem bebe da Fonte, se torna uma fonte.
Vamos é hora de Colher, é hora de ter compaixão, e manifestar o AZEITE E O VINHO.


Amor,

Paulo de Tarso, Apóstolo
Igreja Apostólica Betlehem

quarta-feira, 15 de setembro de 2010

WORKSHOP DE ADORAÇÃO BETLEHEM


Workshop de adoração
Os Céus & a Terra


Shalom amados filhos e amigos,

Nestes 10 anos de ministério O Nosso Deus permitiu que eu estivesse diretamente ligado a diversas frentes de batalha pelo Reino de Deus, de todos eles creio que o que mais me emociona até hoje, são os que tocam edificar um Trono de Adoração acima de tudo e de todos!
Mesmo sem saber tocar nenhum instrumento, tampouco, dominar técnicas vocais, ainda lembro de onde Cristo Jesus me tirou, e então com minhas lágrimas e com meu coração eu O Adoro, e O Adoro e O Adoro...

Sou cercado, no entanto, de pessoas muito talentosas e que podem com suas experiências pessoais e técnicas inspirarem e instruírem a muitos outros.

Este WORKSHOP DE ADORÇÃO tinha como alvo proporcionar para os adoradores de nossa igreja ferramentas para o desenvolvimento pessoal de cada adorador, bem como o aperfeiçoamento dos ministérios de cada igreja, porém entendi que deveria estar convidando os filhos ministeriais que O Nosso Deus me deu, e os alunos que durante alguns anos venho ministrando, para que possam também participar desta experiência que será certamente um grande divisor de águas.

Desde muito pequeno eu cantava:


“eu quero estar com Cristo, onde a luta se travar...”
Este é o tempo em que Cristo está nos dando oportunidade de viver as palavras desta canção. Não perca esta oportunidade de ver (de perto) Cristo vencer!

Paulo de Tarso, Apóstolo
Igreja Apostólica Betlehem

sexta-feira, 3 de setembro de 2010

Série: VOLTEMOS PARA DEUS - 3ª Mensagem


PEDIR POR CHUVA NO TEMPO DAS CHUVAS

Joel 2:1 Tocai a trombeta em Sião, e dai o alarme no meu santo monte. Tremam todos os moradores da terra, porque vem vindo o dia do Senhor; já está perto;

Joel 2:15-17 Tocai a trombeta em Sião, santificai um jejum, convocai uma assembléia solene; (16) congregai o povo, santificai a congregação, ajuntai os anciãos, congregai os meninos, e as crianças de peito; saia o noivo da sua recâmara, e a noiva do seu tálamo. (17) Chorem os sacerdotes, ministros do Senhor, entre o alpendre e o altar, e digam: Poupa a teu povo, ó Senhor, e não entregues a tua herança ao opróbrio, para que as nações façam escárnio dele. Por que diriam entre os povos: Onde está o seu Deus?

Joel 2:21-23 Não temas, ó terra; regozija-te e alegra-te, porque o Senhor tem feito grandes coisas... a árvore dá o seu fruto, e a vide e a figueira juntas dão a sua força. (23) Alegrai-vos, pois, filhos de Sião, e regozijai-vos no Senhor vosso Deus; porque ele vos dá em justa medida as primeiras chuvas, e faz descer abundante chuva, as primeiras e as últimas chuvas, como dantes.

A profecia de Joel tão exaustivamente estudada e tema de inúmeros livros, ao meu modo de ver, anuncia O Tempo do Juízo de Deus - O Grande e Terrível Dia do Senhor - que é precedido por um tempo, apontado nas escrituras como um tempo em que as pessoas são despertadas para que se arrependam, e isso com choro, jejum, humilhação diante de Deus, e este quebrantamento proporciona como resposta de Deus uma grande Chuva - chuva esta que faz com que A ÁRVORE dê O SEU FRUTO e que a FIGUEIRA E A VIDEIRA dêem juntas a sua força. A promessa final é que O Deus que deu as primeiras chuvas, está atento e pronto para dar ao seu povo também as últimas chuvas. Chuvas estas que são também um anúcio do derramar do Espírito de Deus sobre todo o tipo de pessoa do povo de Deus... e então, Sinais no céu e na terra; Eclípses do Sol e da Lua anunciando O GRANDE E TERRÍVEL DIA DO SENHOR!

Vivenciando as Festas do Cordeiro por muitos anos já, e a cada dia mais atento à Revelação de Deus que é sempre crescente, temos ministrado que O Profeta Joel, anuncia o período de Festas que são celebradas no 7º mês a saber: YOM TERUÁ (Toquem a Trombeta em Sião); YOM KIPUR (Anunciem um jejum, conclamem o povo para uma Assembléia Solene, Chorem os ministros do Eterno...), para então com as bênçãos das últimas chuvas, celebrar-se o SUCOT (As eiras se encherão de Trigo, e os lagares de Vinho Novo e de Azeite...). Creio que as pessoas que nos têm acompanhado nestes anos já se familiarizaram com isso, porém consigo ver com clareza nova Luz, sobre A ÁRVORE que dá O Seu Fruto, a saber, A ÁRVORE DA VIDA - YESHUA HAMASHIAH, Aquele que está de um lado e de outro da Rio da Vida (que árvore pode estar plantada de um lado e de outro do mesmo Rio, se não Jesus?), Aquele que está no Éden e que é reproduzido nas vidas daqueles que mergulham nas águas profundas (narradas por Ezequiel), que dão frutos para alimento e folhas que curam os povos.

Também vejo um Holofote de Deus sobre a figueira e a videira que juntas dão a sua força. Quando a Igreja de Cristo foi sacada da Rocha, só havia judeus (frutos da figueira), e com o passar dos séculos, a figueira parecia ter secado, havendo só frutos na videira, mas, enfim as ÚLTIMAS CHUVAS, e as duas juntas, figueira (judeus) e videira (igreja - não judeus e judeus juntos), dão ao Nosso Deus a Sua Força! Aleluia!

Meu coração nas vésperas de mais esta Celebração de YOM TERUÁ, foi despertado por Deus para meditar sobre Elias, e o seu confronto contra Acabe e o sistema satânico que havia se instaurado sobre Israel, e que semelhanças extraordinárias com a Profecia de Joel e com o tempo que se chama: HOJE!

Num momento terrível da História de Israel, momento em que a nação está dividida (O Reino dividido não prospera), e que o rei do reino do norte, casa-se com Jezabel, filha de Etbaal, sacerdotiza de Astarote, possuída e usada pela rainha dos céus. Um homem chamado HIEL (Nome hebraico que quer dizer: Ela é Deus), reconstrói Jericó e perde seu filho mais velho, quando lança seus fundamentos e o caçula, quando lhe coloca as portas (cumprimento da maldição de Josué, para quem reerguesse Jericó), neste momento, sem genealogia, sem maiores explicações, surge do outro lado do jordão Elias de Tisbe e este vai até o rei Acabe e declara que pela sua Palavra não choveria em Israel, até que ele dissesse que haveria de chover.

A terra de Israel é Terra de Montes e de Vales (Deut. 11), terra que do começo ao final do ano é observada pelo Deus Eterno, terra que depende das CHUVAS que caem do céu. Deus prometeu que daria ao seu povo as primeiras e as últimas chuvas, para que pudessem plantar e colher e viver com abundância. Chuvas são um sinal da bênção de Deus e a escassez, sinal de que o povo abandonou O Eterno. Várias secas são narradas nas Escrituras e todas elas apontam para um tempo em que o Povo da Terra de Montes e de Vales esqueceu-se do Nosso Deus. Até os dias de hoje, a Terra de Israel, voltou a ter chuvas regulares quando o povo judeu espalhado pelo mundo voltou a habitar na Terra de seus antepassados. Antes disto historicamente, a Terra era um deserto. Depois do Cativeiro da Babilônia, os primeiros a voltarem narram a mesma situação de seca e de miséria. Assim Abrão encontrou a Terra quando Deus o trouxe desde a Mesopotâmia. Também houve secas nos dias de Isaque, e nos primeiros anos da Igreja, pela palavra profética de Ágabo.

Assim a Palavra de Elias, nada mais foi do que o Veredicto de Deus para o povo que o abandonou, desde os seus reis, até seus sacerdotes e famílias, passando a adorar demônios, no lugar do Deus Altíssimo. Elias mesmo experimentou a seca e quando o ribeiro que lhe supria secou foi até a viúva para lhe manifestar a bênção de Deus que mesmo durante a escassêz supre os necessidados, os órfãos e viúvas... Esta história segue até que Deus diz a Elias (depois de três anos) que se apresente de novo a Acabe, porque novamente haveria chuvas para o seu povo.

Deus disse que ia chover, Elias ouve Deus dizer que vai chover, porém as Chuvas só serão resposta de Deus para o povo quando este se voltar para O DEUS VIVO.

Elias diz na cara de Acabe que não é ele quem está perturbando a Israel, mas, o próprio rei, omisso e indigno, por conta de sua idolatria e de sua mulher, sacerdotiza de demônios.

Elias propõe um desafio, e Elias conclama todo o povo. TODA A NAÇÃO, para subir até o Monte Carmelo, e o povo ouve e vê a disputa, em que os adoradores de baal, lhe fazem sacrifício, lhe invocam, até se mutilam, mas, não obtém respostas do seu deus. Agora o profeta do Deus vivo, junta doze pedras, uma para cada uma das tribos de Israel, profetizando a Restauração do Altar de Deus que estava em ruínas pela divisão, e depois de pôr sobre o mesmo, a lenha e um animal partido em holocausto, Elias, manda que 12 cântaros de água fossem derramados sobre O Altar, uma vala havia sido cavada ao redor do altar, com o dobro da profundidade necessária para se plantar uma semente, e foi tanta água derramada, que esta vala ficou cheia, além do altar, do sacrifício e da lenha, e então Elias, invocou o Nome do Único Deus Vivo, o Único Deus que pode responder com fogo, e O Fogo de Deus desceu, e bebeu toda a água, e consumiu o sacrifício, a lenha e até as pedras... Tudo naquele altar agradou ao Nosso Deus, e então Elias aos gritos do povo, reconhecendo que só O Eterno é Deus (O povo acabara de voltar-se para Deus), ordenou que os profetas de baal fossem mortos.

A coisa mais preciosa naquele momento era a água, e foi justamente isso e em abundância que Elias entregou para Deus... Depois de três anos de seca, talvez, aquela água fosse a última reserva de água potável, que inteiramente foi derramada, como oferta de Libação ao Deus que dá ao seu povo, como resposta ao seu arrependimento, as primeiras e as últimas Chuvas.

Dito e feito, Elias anuncia ao maldito Acabe: Corre, porque já ouço ruído de muita chuva! Aleluia!!!

Elias que profetiza pelo Nome do Eterno as chuvas, vai para o cume do Monte, clamar por Chuvas. Deus disse que ia chover, mas, ante a congregação de todo o povo Elias representando os sacerdotes, subiu ante a face de Deus e derramou o seu coração, até que um pequeno sinal, pequeno como a palma da mão de um homem apareceu no céu... Aleluia! Em poucos momentos todo o céu escureceu e O Espírito de Deus veio sobre Elias, que correu e correu a ponto de ultrapassar Acabe com seus imponentes cavalos...

YOM TERUÁ - YOM KIPUR - (CHUVAS) - SUCOT

Elias foi o Shofar de Deus que congregou e confrontou todo Israel a voltar-se a Deus; as águas que Elias derramou sobre o Altar, deveriam ser as lágrimas do povo e dos sacerdotes para que Deus, lhe perdoassem os pecados e restaurasse a Terra; As pedras simbolizavam as tribos, naquela época divididas, e hoje os grandes líderes da Igreja de Cristo e suas denominações todas divididas; Elias invocou O Nome do Eterno (Joel 2:32 E há de ser que todo aquele que invocar o nome do Eterno será salvo; pois no monte Sião e em Jerusalém estarão os que escaparem, como disse o Senhor, e entre os sobreviventes aqueles que o Senhor chamar.) O Fogo veio do mesmo Deus que derramou fogo sobre 120 altares, no dia de Pentecostes e a Chuva veio do mesmo Deus, que há de derramar as Últimas Chuvas, assim como cairam as primeiras no início da Igreja. A videira (igreja - não judeus e judeus juntos) e Israel (judeus ajuntados de todas as nações da Terra), darão juntos a sua força para Deus, e a ÁRVORE DA VIDA, JESUS - YESHUA, dará para todo aquele que invocar O Seu Nome, A sua Salvação, porque não há SALVAÇÃO, em nenhum outro nome, porque o único nome que quer dizer: Salvação é YESHUA! ALELUIA!!!

Por fim, quero lembrá-los que assim como já escrevi no Livro (Meu pai, meu pai), antes do Juízo, Deus há de sempre manifestar a Sua Graça, e voltando a Elias, lembramos que Deus o manda, ungir o rei dos Siros, (que serviriam de Juízo para o povo de Israel), e o rei Jeú, (que serviria de juízo para a Casa de Acabe e para Jezabel), e também, Eliseu profeta em seu lugar. Elias, não vai ungir os dois primeiros (O GRANDE E TERRÍVEL DIA DO SENHOR será precedido, pelas Chuvas, pelo Vinho Novo e pelo Azeite transbordantes e também pelo trigo - Palavra em abundância e o deserto reverdecerá), ele vai até Eliseu e lança sobre este a sua capa.

Assim como João Batista, anunciava o juízo, mas, deu o seu lugar a Jesus, e depois de Jesus então veio o juízo sobre todo o Israel; O convite do ETERNO para nós hoje é: ARREPENDAM-SE, CHOREM, JEJUEM, VOLTEM PARA MIM! Eu vos enviarei as últimas chuvas, derramarei O Meu Espírito e neste momento estejamos nós apercebidos, porque sinais nos céus e na terra, anunciarão O GRANDE E TERRÍVEL DIA DO SENHOR, Dia para o qual, nós não fomos reservados.

HOJE É TEMPO DE VOLTARMOS PARA DEUS! A NATUREZA, O MUNDO, TUDO ESTÁ ANUNCIANDO: A SEXTA-FEIRA ESTÁ ACABANDO, LOGO YESHUA REINARÁ SOBRE TODAS AS NAÇÕES DA TERRA, POIS SERÁ O SHABAT DO ETERNO... VOLTEMOS PARA DEUS E ELE SE VOLTARÁ PARA NÓS.

Amor,

Paulo de Tarso, apóstolo

quarta-feira, 1 de setembro de 2010

segunda-feira, 23 de agosto de 2010

Série: VOLTEMOS PARA DEUS - 2ª Mensagem





YOM TERUÁ
O DIA ESCONDIDO


Na noite de lua nova, quando surgissem as duas primeiras estrelas no céu, em Jerusalém, os sacerdotes, anunciavam que ali se iniciava um novo mês (ROSH CHODESH). As pessoas comuns, claro, tinham a idéia dos tempos, mas, a declaração oficial, era vinda de um sacerdote. A importância do sétimo mês era maior porque depois de 10 dias do início do sétimo mês, as pessoas tinham de se consagrar diante de Deus, para os sacrifícios de Expiação. No primeiro dia então, do mês 7, as Trombetas (shofarot), eram tocadas conforme a Ordem de Deus em Sua Palavra.

O YOM TERUÁ ganhou também o nome de Dia Escondido, porque só o Sumo Sacerdote, (mediante as informações de que já era o sétimo mês), podia decretá-lo.


Com o passar dos anos esta data passou a ser identificada com o rito de um casamento hebreu, porque o responsável pela celebração era do Pai do Noivo, e a permissão para que o Noivo buscasse sua amada, só se dava depois que o local onde eles morariam estivesse pronto. O noivado era marcado por um encontro, onde os noivos celebravam comendo pão e bebendo vinho, e onde era assinado o KETUBÁ (O contrato de casamento, em que o Noivo – LITERALMENTE – Compra a sua amada), e promete vir buscá-la quando o lar estiver pronto. Um dote e uma aliança eram estabelecidos, e o Noivo então se ausentava até a ordem de seu pai para vir tomar sua amada.
Antes de ouvir a ordem de seu pai, o Noivo enviava seus melhores amigos, para que fossem tocar os seus shofares, nas imediações da casa da Noiva, para que ela soubesse, que seu Amado estava às portas. Porém quando o pai do Noivo, lhe dava a ordem, O Noivo seguia com seus servos até a casa da sua Amada, e um toque específico era feito: O TERUÁ... Um toque picado e choroso, como que dizendo: Vem pra mim amada minha, pois já não agüento mais a distância de ti!
A noiva neste dia deveria estar pronta, linda, absolutamente perfeita, sem qualquer mácula, nem mancha, como que dizendo: O momento mais importante da minha vida é este! Estou pronta!

O noivo então a levaria para as Bodas num local distinto de onde eles morariam depois de casados, e depois da Noiva ser apresentada e abençoada pelo Pai do Noivo (ou por um sacerdote), durante sete dias, eles teriam suas núpcias, beberiam o melhor vinho, ceariam os melhores banquetes, e principalmente desfrutariam um do Amor do outro... A Festa com todos os convidados se dava então no sétimo dia.
Em outras palavras.... Jesus já nos comprou com seu Sangue, nos deu a Nova Aliança, registrou sua promessa nos Evangelhos, foi nos construir morada, e virá muito em breve, para nos conduzir à Presença do Aba, para que possamos ser abençoados e consagrados eternamente. Assim como o Rei David, foi dançando em frente da Arca, YESHUA irá dançando pelo Universo, à frente da sua Noiva, A Igreja, para apresentá-la ao Nosso Deus e Pai.
Os amigos do Noivo (em cada culto, em cada igreja, há sempre alguém chamando nossa atenção com o ruído do Shofar) já estão tocando os seus Shofares... O Espírito e a Noiva dizem: MARANATA!!! VEM JESUS!



“num momento, num abrir e fechar de olhos, ao som da última trombeta; porque a trombeta soará, e os mortos serão ressuscitados incorruptíveis, e nós seremos transformados.” (1Co 15:52)



Paulo de Tarso, apóstolo
Igreja Apostólica Betlehem

quinta-feira, 19 de agosto de 2010

Série: VOLTEMOS PARA DEUS - 1ª Mensagem



O SHOFAR JÁ ESTÁ TOCANDO


Desde o último dia 11 de Agosto, nós da igreja Betlehem, temos tocado O Shofar em todas as nossas casas, e fazemos isso com alusão a acontecimentos bíblicos, que da mesma forma são lembrados em todas as congregações judaicas do mundo, desde o 1º dia do Sexto mês do Calendário de Deus (neste ano 11/08). Foi num dia como este que Moisés subiu ao Monte Sinai, levando as segundas tábuas (agora esculpidas por ele), para que Deus escrevesse as suas Leis para o seu povo.
Moisés desce com as tábuas, 40 dias depois, justamente num YOM KIPUR, Dia da Cobertura do Sangue. Neste dia o Sangue do Sacrifício era levado até o Lugar Santíssimo pelo Sumo Sacerdote. Este período nos indica então, um tempo de novas oportunidades, que só serão alcançadas com ARREPENDIMENTO E QUEBRANTAMENTO. Esta é a proclamação que O Shofar está fazendo.


Ele está voltando! Volte-se para Ele!

Três são os toques do Shofar e podemos vislumbrar as Festas do Cordeiro, que são como o Relógio de Deus, através dos toques deste instrumento que nos desperta para as coisas de Deus.

1º Tekiá – Fala da Grandiosidade de Deus, nos aponta para as três Grandes Festas, Festas que revelam todo o Plano da Redenção de Deus. É o primeiro dos toques e é repetido novamente depois de todos, até que se perca o fôlego. Dá-nos a entender que entre as duas primeiras Festas (Pêssach e Shavuot – Páscoa e Pentecostes), pouco tempo é transcorrido e que uma está diretamente ligada à outra. O que separa o Tequiá, do Tequiá-Guidolá (O grande som de Tequiá), são os outros toques e este quase dois mil anos da Igreja de Cristo.


2º Shevarim – Fala dos livramentos de Deus para o seu povo, representados pelas festas de Purim e Chanuká. Não apontam para O Plano da Redenção, mas, demonstram que O Nosso Pai, está sempre presente, e que cada vez que nosso inimigo disser para nós: Acabou! O Todo Poderoso dirá: Não Acabou, e para que fique claro, a partir deste momento, meu povo celebrará Festa para mim, O Deus que muda maldição em bênção!
O Shevarim é um toque entrecortado, num só fôlego em três partes.

3º Teruá – O toque que era ouvido, quando o povo tinha de desarmar o acampamento para seguir a Shechiná; toque ouvido pelas noivas, para saírem ao encontro de seus amados. O Rei David declara no Salmo 89:15 – “ASHRÊ HAAM IODÊ TERUÁ...” – Feliz é o povo que ouve o Teruá.
Este som de um só fôlego é como uma sirene, entrecortado pelo menos nove vezes. Um som lamurioso, como o Choro de Deus, chamando pelo seu povo. Este toque do Shofar, fala dos dias de arrependimento e de perdão que antecedem a maior de todas as Festas: SUCOT (Festas das Cabanas, ou Festas de Tabernáculos). Depois do verão e de um longo período sem chuvas e sem Festas em Israel, a época das Chuvas, da Colheita das Uvas e do Transbordar das eiras de Vinho Novo e de Azeite é chegado. A Festa da Colheita do Final do Ano de Trabalho será celebrada durante O Milênio em Jerusalém, quando Jesus Cristo, aquele que se fez Tabernáculo (Cabana), ser humano como nós, para nos mostrar O Caminho para O Pai, será honrado e adorado, quando Reinar desde Jerusalém sobre todas as nações da Terra, e nós como sua Noiva e Esposa, reinaremos com Ele. O Tekiá tocado mais uma vez, O Som que fala da Grandiosidade de Deus é repetido então, num único som até que o fôlego se acabe!



Que venha O Reino do Nosso Deus e do seu MASHIACH!


Paulo de Tarso, apóstolo
Igreja Apostólica Betlehem

segunda-feira, 2 de agosto de 2010

Palavra Apostólica - Agosto / 2010



PERFEIÇÃO OU INIQUIDADE?

A resposta parece tão simples. Entre os montes Gerezim e Ebal, depois que todas as bênçãos e maldições prescritas na Palavra, foram lidas para toda a nação de Israel, a mesma possibilidade oferecida a Adão, é apresentada diante de todo o povo: Vida ou Morte? Bênção ou Maldição? A escolha sempre será nossa!
A cada dia (desde o Éden), Satanás, O Iníquo, a antiga Serpente, o Dragão, com mais astúcia vêm numa trama de possibilidades tentando nos mostrar que a Palavra de Deus não é assim... Verdade, nem Literal exatamente como O Eterno nos revelou. Nem O Mal, o pecado, a Iniquidade tão relevantes assim a ponto de termos de eliminá-los de nossas vidas. Por isso, creio que a resposta que parece óbvia, para a pergunta que Deus nos têm proposto, não é respondida com um sim, ou um não, mas, com atitudes de uma vida. A grande esperança, e ao mesmo tempo grande risco é que há sempre chance de se mudar de um lado da balança para o outro...
Neste ano o Brasil completa 100 anos, do Avivamento que aqui chegou, desde que missionários suecos impactados pelo Avivamento de Los Angeles, na Rua Azuza, ouviram do Espírito Santo sobre O Pará, (estado do norte do Brasil) e vieram até Belém, cidade onde a primeira brasileira foi batizada no Espírito Santo.
Tenho nestes dias lido, e estudado sobre o ambiente que preparou este avivamento tão grande, um dos maiores de toda a história. Eu que vivo pregando sobre as Últimas Chuvas, certamente se vivesse aqueles dias, diria, como muitos acreditaram, ser aquele o avivamento que antecedia a Volta de Jesus Cristo. O rapto da Noiva era uma das tônicas de todos os sermões, e já o era há quase meio século, em outros lugares do mundo, em especial na Inglaterra. Muitas experiências com O Espírito Santo passaram a se manifestar. O movimento de Santidade, e as vívidas experiências, com o que chamavam de a 2ª Benção, e que depois popularizou-se com a expressão: Batismo no Espírito Santo, criou numa geração inteira, o desejo de se aproximarem de um Deus Santo, e justamente este desejo de aproximação, na correta revelação da Santidade de Deus, passou a gerar um TEMOR tão grande, que as manifestações de Deus traziam uma transformação nos indivíduos, que estes consideravam como a Benção que sucedia a Salvação, com a qual os cristãos podiam contemplar e manifestar a PERFEIÇÃO de Deus, numa curta vida de poucos anos até Jesus voltar, ou até que partissem para encontrar-se com O Pai.

“Filho do homem, eu te dei por atalaia sobre a casa de Israel; quando ouvires uma palavra da minha boca, avisá-los-ás da minha parte. Quando eu disser ao ímpio: Certamente morrerás; se não o avisares, nem falares para avisar o ímpio acerca do seu mau caminho, a fim de salvares a sua vida, aquele ímpio morrerá na sua iniqüidade; mas o seu sangue, da tua mão o requererei: Contudo se tu avisares o ímpio, e ele não se converter da sua impiedade e do seu mau caminho, ele morrerá na sua iniqüidade; mas tu livraste a tua alma. Semelhantemente, quando o justo se desviar da sua justiça, e praticar a iniqüidade, e eu puser diante dele um tropeço, ele morrerá; porque não o avisaste, no seu pecado morrerá e não serão lembradas as suas ações de justiça que tiver praticado; mas o seu sangue, da tua mão o requererei. Mas se tu avisares o justo, para que o justo não peque, e ele não pecar, certamente viverá, porque recebeu o aviso; e tu livraste a tua alma.” (Eze 3:17-21)

Há muitas citações na Palavra sobre a apatia do povo de Deus, não estar frio nem quente, a ponto de ser vomitado da boca do Senhor, e também sobre a Igreja que acha que está tudo bem consigo mesma, que é rica e poderosa, mas, na verdade é miserável, pobre, cega e está nua, bem como um povo que realiza a obra de Deus e que fala em seu nome e até expulsa demônios, mas, que pratica iniqüidades e portanto, não é reconhecido como povo de Deus...

Os pecados que infelizmente cometemos, as Transgressões à Lei de Deus, com as quais nos habituamos, nos têm levado para a Obstinação, a um estado letárgico em que não ouvimos mais, em que endurecemos nosso coração e rejeitamos o confronto, literalmente SEM TEMOR de Deus, e imediatamente julgamos os profetas (os instrumentos do confronto), como duros, insensíveis, radicais, pessoas fora da realidade, pessoas sem amor ou carentes de entendimento, e com isso: OPTAMOS PELA MORTE E PELA MALDIÇÃO!

Em nossos cultos, temos motivado as pessoas, sido carinhosos, receptivos, temos demonstrado interesse por seus problemas e nos oferecido como família e amigos, e nisto tudo não há nada de errado, mas, talvez, estamos ficando com medo de dizer que as pessoas precisam arrepender-se de seus pecados, cessar com as transgressões e extirpar a iniqüidade de suas vidas. Não sei precisar se nesse processo estamos mais condescendentes com a Iniquidade entre nós, porque a temos praticado também, ou se de tanta complacência com a Iniquidade acabamos por sujar também as nossas vestes (e não nos incomodar mais com isso) .


Há poucos dias fomos ministrados por um pregador que nos visitou, e que falou sobre um dos Bezerros de Ouro, que foram colocados em Israel, na cidade chamada: BET-EL (Casa de Deus), cidade que tornou-se BET-AVON (Casa da Iniquidade). Quais os ídolos, bezerros de ouro, pecados dos quais não estamos dispostos a nos arrepender, situações que não estamos abertos ao confronto, situações das quais nos sentimos perdoados, e que aparentemente não geram nenhum problema para o tipo de evangelho que estamos vivendo e por isso pregando hoje?

Deus está querendo derramar sobre nós a Sua Perfeição, O seu Batismo no Espírito Santo e no Fogo de Deus, A Santificação, sem a qual ninguém verá a Deus, as Últimas Chuvas, um nível de Autoridade e Unção das quais só ouvimos falar, mas, nunca a experimentamos de verdade... Isso deveria estar consumindo nossos dias, ser o alvo maior de nossas orações, ser a razão e meta de nossa igreja, mas, estamos chafurdando em nossos pecados, transgressões e iniqüidades...

DEUS eu clamo por um avivamento, o Teu tipo de avivamento, limpa o nosso coração, traz sobre nós a Tua Justiça, desperta o nosso espírito que adormeceu na sujeira e na bagunça. Usa pessoas que O Senhor têm guardado para esta hora, pessoas que possuem suas vestes limpas, Lavadas no Sangue do Cordeiro, e NÃO NOS ENTREGA PAI! Não desiste de nós! Deus volta para os milhares de milhares do teu povo!


Curiosidade: Havia na roupa do Sumo Sacerdote dois artefatos: O Urim e o Tumim (Luzes e Perfeições), quando a Palavra de Deus nos é revelada são como luzes que nos levam para o Caminho que Deus escolheu para nós. Siga esta luz!

“...Vinde, pois, e arrazoemos, diz o Senhor: ainda que os vossos pecados são como a escarlata, eles se tornarão brancos como a neve; ainda que são vermelhos como o carmesim, tornar-se-ão como a lã. Se quiserdes, e me ouvirdes, comereis o bem desta terra; (Isa 1:17-19)

E esta é a mensagem que dele ouvimos, e vos anunciamos: que Deus é luz, e nele não há trevas nenhumas. Se dissermos que temos comunhão com ele, e andarmos nas trevas, mentimos, e não praticamos a verdade; mas, se andarmos na luz, como ele na luz está, temos comunhão uns com os outros, e o sangue de Jesus seu Filho nos purifica de todo pecado. Se dissermos que não temos pecado nenhum, enganamo-nos a nós mesmos, e a verdade não está em nós. Se confessarmos os nossos pecados, ele é fiel e justo para nos perdoar os pecados e nos purificar de toda iniquidade. (1Jo 1:5-9)


ESCOLHA A VIDA E VIVA!



Amor,

Paulo de Tarso, Apóstolo

Agenda Betlehem - Agosto / 2010


segunda-feira, 28 de junho de 2010

Palavra Apostólica - Julho / 2010


MESTRE,
QUE EU VEJA!


"... aviva, ó Senhor, a tua obra no meio dos anos; faze que ela seja conhecida no meio dos anos; na ira lembra-te da misericórdia." (Hab 3:2)

Quando o homem foi enganado pela astúcia da Serpente, achou que desobedecendo a Deus conheceria O Bem e o Mal... Quanto engano! Será que Adão não viu e será que ainda hoje não vemos? O Bem, o homem já conhecia, o que ele descobriu foi o Mal. O homem que via a Deus passou a ver maldade em estar nu. O Éden (que está no mesmo lugar) não pode mais ser visto porque o caminho para o Éden foi fechado. O homem não pode mais ver o mundo espiritual, não pode mais contemplar a Deus, o homem ficou cego!
Há um homem na Bíblia chamado Habacuque, que vê toda a maldade que o cerca e a seu povo, e não se conforma com isso, e decide subir para uma Torre de Vigia. O que se faz numa Torre de Vigia? Se vê, se observa, se espera..., até que se Veja, até que se entenda, até que se cumpra. Habacuque vê a Deus e o seu poder e é incumbido de fixar um grande “Outdoor” com o que vê, para que até os que passarem correndo VEJAM... Habacuque continua vendo a dificuldade, ele continua vendo que a videira, a oliveira e a figueira estão sem frutos e os currais estão vazios, mas, Ele se alegra em Deus... Porque? Por que Habacuque Vê!
Habacuque pede que Deus avive a sua obra no decorrer dos dias, embora a Visão e a Palavra que recebe é para os tempos do fim... Porque Habacuque tem de pedir algo assim para Deus, é porque os Planos do Eterno não estão se cumprindo, ou porque estão dando errado, ou porque as pessoas pararam de ver e de crer? O Avivar é algo para Deus, ou para os homens? Quem se moverá neste avivamento?

Daniel, ouve que a visão que recebera estava concluída e que era para os tempos do fim, e portanto deveria estar SELADA (fechada, escondida, camuflada, impedida de ser compreendida), até os tempos do fim. O nosso Deus lhe anuncia que os ímpios não entenderiam sua Profecia, mas, os sábios (entendidos segundo O Espírito Santo) entenderiam. O que está selado? O que será desvendado? O que está encoberto?

Quando Daniel viu estas coisas todas e recebeu revelações de Deus para os tempos do fim? Quando aplicou o seu coração na Palavra de Deus e em Buscar a Face do Eterno.

Outro que na angústia pediu para ver foi Moisés... Quis ver a Face do Eterno. Não sabia ele que era impossível ver a Deus e continuar vivo? Continua sendo impossível até hoje! É impossível caminhar em vida sem vê-lo, é impossível vê-lo e continuar na mesma vida, sem vida e que caminha para a morte.

Nos dias de angústia do profeta Isaías, ano da morte do rei Uzias, ele viu a Deus e achou que ia morrer... Acertou em cheio! A iniquidade que o afastava de Deus foi extirpada de sua vida e a vida antes do encontro com Deus deixou de existir, para uma vida agora segundo O propósito Eterno e o Chamado de Deus para profetizar sobre Jesus Cristo, seu Reino, sua Vinda e seu Ministério como nenhum outro. Qual foi a diferença? Ele viu e o que viu mudou sua vida!

Parece que Deus está parado, parece que se esqueceu de nós, parece que nada está acontecendo, parece que o Diabo está ganhando, parece que no passado era melhor e que as coisas estão cada vez piores, parece que Deus vai ter que levantar a próxima geração, porque na nossa já não há mais esperança, parece que é melhor cada um cuidar da sua própria vida e dos seus interesses, porque não vai dar em nada ficar devotando a vida para as coisas de Deus, sendo que as promessas ainda se cumprirão daqui há muitos dias, (como nas palavras de Habacuque e de Daniel). Parece não! Estou vendo os inimigos nos cercarem por todos os lados, estou vendo o que Satanás fez marcando nossa cidade com desenhos, através da maçonaria, bruxaria, idolatria; estou vendo os focos de consumo de drogas, de prostituição, de violência cada vez, mais perto de nós, estou vendo todo o plano das trevas; estou vendo nas nações o plano do Anticristo através de uma ditadura homossexual, do controle estatal do sistema do mundo, prepararem todas as coisas para a manifestação do Reino do Iníquo; pessoas que dizem ter visões abertas falam dos ataques do Diabo contra nós, dos Principados das trevas que nos cercam, que fulano e beltrano estão sob a influência deste ou daquele espírito demoníaco, alguns dizem: Há pecado no nosso meio, outros, Deus está me revelando que as famílias estão com problemas, e que há adultério no nosso meio, e que pessoas estão roubando nos dízimos e nas ofertas, que outros estão com um desejo de divisão e assim vai...

Mas, e o que Deus está fazendo?

Eu fiquei sabendo que Jesus Cristo de Nazaré está passando por aqui... Jesus, Aquele de quem falam as Escrituras, Aquele de quem está escrito: “Restaurará a visão dos cegos?”

JESUS FILHO DE DAVID, tem Misericórdia de miiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiimmmmmmmm!!!!

Jesus cura um cego de nascença que declara a seu respeito: “Se é pecador eu não sei, mas, o que sei é que eu era cego e agora vejo!”

Outro homem curado por Jesus via homens, como se fosse árvores e Jesus precisa lhe dar um segundo toque, para que ele veja perfeitamente... Há pessoas que dizem ter visão aberta, e minha pergunta é: Estão abertas para o que?

Quando se viram cercados Eliseu pediu para que Deus abrisse os olhos de seu discípulo, para que este visse, que mais numerosos, são os que estão conosco, do que os que estão com os nossos adversários...

Aquele cego em Jericó, tinha a resposta na ponta da língua, para a coisa que O Nosso Deus, mais deseja fazer conosco hoje:

Ele quer que vejamos! Se de fato nascemos de novo podemos ver O Reino de Deus. Se nascemos da Água e do Espírito podemos entrar no Reino de Amor do Filho do Nosso Deus

A pergunta é a mesma: O que queres que eu te faça?

O Justo da sua fé viverá!

Amor,

Paulo de Tarso, Apóstolo

Agenda Betlehem - Julho / 2010


terça-feira, 8 de junho de 2010

Firmados sobre a Rocha

No ano de 2008, fomos ministrados pela Apóstola Valnice Milhomens, sobre a Igreja, pedra sacada da Rocha, e esta palavra sedimentou muitas coisas que temos vivido, crido e ensinado. Este pequeno vídeo, tornou-se base de nossa compreensão sobre quem somos em Cristo, e o usamos para manifestar nossa Missão, Visão e Valores que nos unem.

Paulo de Tarso,

Igreja Apostólica Betlehem

quinta-feira, 13 de maio de 2010

Série - Shavuot (Pentecostes) Maio/2010



NAASSÊ VENISHMÁ

"Também tomou o livro do pacto e o leu perante o povo; e o povo disse: Tudo o que o Senhor tem falado faremos, e obedeceremos. Então tomou Moisés aquele sangue, e espargiu-o sobre o povo e disse: Eis aqui o sangue do pacto que o Senhor tem feito convosco no tocante a todas estas coisas." (Exo 24:7-8)
Poucos séculos após Noé e sua família terem saído da Arca, para repovoar o mundo, o primeiro grande líder mundial, Ninrode, consegue inculcar em sua geração, que a edificação de uma torre permitiria que eles fossem afamados e tivessem os seus nomes perpetuados. Ele conseguiu fazer com que todas as pessoas que falavam uma só língua, acreditassem nesta mentira, e com tijolos feitos de barro, e queimados no fogo, edificaram a Torre de Babel, embora o único nome que se têm notícia deste tempo é da primeira figura bíblica do Anticristo que está para se manifestar. Ali, o ser humano experimentou algo poderoso no mundo do Espírito: O poder da CONCORDÂNCIA. Até para coisas malignas, quando as pessoas, tem um só coração, falam a mesma coisa, concordam quanto ao objetivo alcançado, elas prosperam nos seus desígnios.
O Nosso Deus precisa ali, confundir as línguas, porque aquele lugar e as forças da Maldade que imperavam ficariam conhecidos pelos séculos, como Babilônia, a mãe de todas as prostituições.
A maneira de se edificar para Deus, no entanto é diferente: Enquanto Ninrode mandava fazer tijolos de barro (terra amassada colocada numa forma que continha a marca do fabricante, e então era assada no fogo), absolutamente iguais, uns aos outros, os tijolos eram colocados nas paredes daquela edificação satânica.
Uma edificação para Deus, como um altar, é feito com pedras assim como estão na natureza, (pedras que não se encaixam com facilidade, porque é impossível haver duas pedras com o mesmo formato), pedras em que ferramentas ainda não tenham trabalhado. Deus tem prazer na diversidade que Ele criou, em que cada ser humano tenha sua própria individualidade e que conscientemente decida servi-lo e lhe fazer a Vontade.
Quando o povo de Israel recebe as Leis de Deus, arrependidos depois do pecado do Bezerro de Ouro, dizem em PEH ECHAD (Uma só voz), NAASSÊ VENISHMÁ (Faremos e obedeceremos). A concordância que Satanás obteve com dissimulação, sedução e engano, inculcando um desejo maligno no subconsciente coletivo do povo de Babel, O Nosso Deus consegue de seu povo, quando no deserto, o povo vê as maravilhas de Deus e decidem servi-lo. Eles permaneceram nesta palavra? Certo que não, infelizmente. Percebemos que o Reino de Deus não se manifesta através de Palavras, mas, de atitudes, baixo O Poder Sobrenatural de Deus.
Na madrugada de Pentecostes (SHAVUOT), estavam em Jerusalém pessoas de todas as nações da terra, e o Antídoto, contra a Torre de Babel é liberado por Deus. Aqueles 120 homens e mulheres, que perseveraram unânimes (em concordância de coração e de propósitos), quando foram Cheios do Espírito Santo, passaram a falar em todas as línguas conhecidas do mundo, A MESMA COISA. Eles passaram a proclamar as Maravilhas de Deus!
Novamente como no Monte Sinai, eram muitas pessoas, mas, um só coração, não mais declarando o que não podiam cumprir, mas, sendo transformados de dentro para fora, estavam sendo capacitados para uma vida que não era mais pautada por seguir padrões escritos, mas, uma vida marcada por uma transformação interna, que só O Eterno pode realizar.
Antes era Jesus quem dizia: "O Espírito do SENHOR Deus está sobre mim", agora são 120 homens e mulheres que podem dizer a mesma coisa, e podem realizar as mesmas obras que Jesus e outras maiores ainda... Agora, é a nossa vez, em nossa geração, de Cheios do Espírito, dizermos ao Nosso Pai Celestial: NAASSÊ VENISHMÁ!
Pelo Teu Espírito, pelo Eterno que é O Dono do querer e do realizar. Para a Glória do Teu Nome, para que Teu Reino cresça, para que O Mundo saiba: "Que Pai encontramos em Ti!". Queremos te dar nosso coração, nossa família, nossa igreja, e nossa geração, porque tudo que existe te pertence.
Como quando Moisés subia o Monte para encontrar-se com O Eterno e seu rosto resplandecia, precisamos subir constantemente à Presença de Deus, porque os avivamentos do passado, se esvanecem com o tempo, assim como alguém que se doura no sol e com o tempo perde aquele tom bronzeado. Precisamos remover o véu, que nos induz e ao povo de que ainda estamos resplandecendo a Presença do Pai, e verdadeiramente e constantemente, renovarmos e recarregarmos as baterias da Unção através do relacionamento face-a-face com Deus.
São dias de um novo derramar do Espírito Santo; é um momento único para a Igreja de Cristo Resplandecer de novo! Em tempos de trevas é que se Resplandece a Luz de Deus!
KUMI ORI! KI VAORECH, UK´VOD ADONAI ALAICH ZARAH!Levanta e Resplandeça! Porque a Glória do Eterno vêm nascendo sobre ti!
Amor,

Paulo de Tarso, apóstoloIGREJA APOSTÓLICA BETLEHEM